terça-feira, 9 de dezembro de 2014

MUITO ANTES DO EDIFÍCIO COPAN


A foto panorâmica foi tirada da torre da Igreja da Consolação, no início dos anos 50, quando o triângulo formado pelas Avenidas Ipiranga, Consolação e São Luís se tornou objeto de desejo de todas as construtoras.

Já estavam prontos os grandes edifícios do lado impar da São Luís, a Biblioteca Mário de Andrade e o Novo Hotel Jaraguá (antigo Estadão). Contudo, o desejado graal do triângulo permanecia praticamente vazio. Ainda estava intacta a saudosa e deliciosa Vila Normandia, obra do arquiteto Júlio de Abreu Junior nos terrenos do Conde Sílvio Álvares Penteado.

Os planos e projetos para ocupação dos terrenos estavam no fogo ardente das negociações imobiliárias. O Itália, o Copan e os edifícios residenciais do lado par da São Luís logo brotariam para verticalizar e transfigurar o triângulo.

Curioso, entretanto, é que uma pequena e interessante construção, com exíguos térreo e seis andares, já se emperiquitava, premonitória, no vasto terreno desocupado. Não se declarava nem edifício nem prédio, apenas ‘CRUZEIRO’, no número 355 da Rua Araújo.

O predinho existe e resiste até os dias de hoje, engolido e despercebido entre as imensas construções que o cercaram. Se não fosse a antiga fotografia panorâmica nunca teria prestado atenção nesta testemunha do passado, que viu tudo acontecer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário