quarta-feira, 20 de abril de 2016

ANJO DO CASTELINHO DA RUA APA


O Crime do Castelinho da Rua Apa é a tragédia favorita dos paulistanos.

Eclodiu em 12 de maio de 1937, uma quarta feira. Convocada, a policia encontrou três cadáveres num palacete com torrinha na Avenida São João. A mãe (Maria Cândida Guimarães dos Reis, 73) e dois filhos (Álvaro Cézar dos Reis, 45, e Armando Cézar dos Reis, 43). Conclui-se por assassinato duplo e suicídio, apesar das incongruências na cena dos crimes. 

quarta-feira, 13 de abril de 2016

110 ANOS SEM PAULISTA NATO NA PRESIDÊNCIA

Com o impedimento da Dilma Roussef pelo Senado, Michel Temer – Tietê – em 26/08/2016 assumiu o comando da nação. Foram 110 anos – um século e uma década – sem que um cidadão nascido no Estado de São Paulo chegasse a Presidência da República para um mandato de fato.

Neste ínterim, Paschoal Ranieri Mazzilli Caconde ocupou o cargo duas vezes para mandatos protocolares: por 15 dias em 25 de agosto de 1961 e por 14 dias em 2 de abril de 1964.

Outro paulista? Só no longínquo ano 1902, quando Francisco de Paula Rodrigues Alves Guaratinguetá tomou posse e cumpriu seu mandado de 4 anos, até 1906.

Rodrigues Alves foi terceiro de uma trinca sucessiva de paulistas natos que chegaram à Presidência da Nação. Substituiu Campos Sales Campinas, que sucedeu Prudente de Morais Itú. O primeiro presidente paulista e o terceiro da História da República..

Júlio Prestes – Itapetininga – foi eleito, mas não tomou posse, impedido pela Revolução de 1930.

Já foram indicados 42 presidentes até agora, muitos fizeram longa carreira política em São Paulo, mas somente 5 deles eram paulistas natos.