quarta-feira, 27 de julho de 2016

OSCAR PASSOU POR AQUI


Oscar Niemeyer passou por S. Paulo muitas vezes, deixou seus rastros sinuosos espalhados por diversos pontos da cidade.

Vastos conjuntos arquitetônicos exibem seus traços sestrosos: o Ibirapuera – que o povo visita, frequenta e convive; e o Memorial da América Latina – perpetuamente deserto, feito cenários dos filmes de Michelangelo Antonioni.

Ao menos, por três vezes trabalhou no Centro Novo, participou do projeto ou construiu edifícios de apartamentos, que, até hoje – entre retas e curvas, secas e chuvas – preservam e se beneficiam de suas ideias e paradigmas.

   a) Edifício Montreal – esquina das Avenidas Ipiranga e Cásper Líbero.

   b) Edifício Eiffel – Praça da República com Rua Marquês de Itú.

   c) Edifício Copan – Av. Ipiranga (perto da Igreja da Consolação)

Infelizmente não deixou nada grande na Avenida Paulista. Talvez por isso, quando olhamos para Conjunto Nacional sentimos falta de curvas e fantasia.

3 comentários:

  1. Douglas, tenho a impressão que o Edifício Triângulo (ruas Direita/Quintino Bocaiúva/José Bonifácio), aquele que tem um painel do Di Cavalcanti na entrada, também é projeto do Niemeyer, ou será que me engano?

    ResponderExcluir
  2. Wilson Calocero, nas vezes em que li sobre o Edifício Triangulo entendi que Niemeyer foi apenas inspirador e consultor aleatório do projeto.
    Por outro lado – menciono no texto – os três edifício que fotografei são os trabalhos do arquiteto no Centro Novo, além do Viaduto do Chá, o setor modernoso de SP pós 40.

    ResponderExcluir
  3. Wilson Calocero, nas vezes em que li sobre o Edifício Triangulo entendi que Niemeyer foi apenas inspirador e consultor aleatório do projeto.
    Por outro lado – menciono no texto – os três edifício que fotografei são os trabalhos do arquiteto no Centro Novo, além do Viaduto do Chá, o setor modernoso de SP pós 40.

    ResponderExcluir