quarta-feira, 19 de julho de 2017

POEMAS CORTANTES






4 comentários:

  1. Esplêndidos os oito poemas. Em "Esgrima", percorre-o belo efeito sinestésico, bem arrematado na imagem das cicatrizes. E de fato, sentimos os lanhos da lâmina. O poema mesmo é uma espada cortante: a dor e o prazer andam rentes ao gume.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pelas palavras Vilma Maria.

    ResponderExcluir
  3. O "Minotauro de Dante" é grandioso. A assonância e aliteração neste poema somados aos ecos que ressoam criam no poema uma atmosfera atemporal em que a eternidade parece estar zunindo nos ouvidos. E o ritmo torna essa imagem mais nítida.

    ResponderExcluir
  4. Obrigado pelo pela leitura inquietante, atenta e luxuriante.

    ResponderExcluir