sexta-feira, 10 de novembro de 2017

7 SALVADOS DO INFERNO

[...]
MINOTAURO INVERTIDO
Na antiguidade clássica o Minotauro tinha cabeça de touro e corpo de homem, morfologia que poderia sugerir o domínio da bestialidade. Borges insiste que na ‘Divina Comédia’ Dante imaginou um Minotauro invertido, com cabeça humana e corpo de touro, por isso, talvez, possuidor de livre arbítrio.

BERTRAN DE BORN 
Trovador Provençal de Périgord (Limoges/França), cantava armas, batalhas, guerras e amores. Ezra Pound enxergava nele mais sutileza, sugeriu que o poeta acreditava que as  armas, conflitos e paixões eram as regras do 'jogo da vida'. Os valores mais importantes para qualquer cavaleiro. Dante o colocou no oitavo círculo do Inferno, com o castigo de caminhar pela eternidade carregando a própria cabeça, porque provocou cizânias entre pais e filhos. 

FRANCESCA E PAOLO
Para a História Francesca da Ramini, metida num casamento arranjando com Giovanni Malatesta, nunca amou o marido. Preferia o cunhado Paolo. 
A Divina Comédia conta que um dia os dois enamorados, lendo o livro ‘Lancelot em Prosa’  que narra uma traição  no trecho do beijo de Guinevere e Lancelot, o casal imitou o romance. O irmão/marido flagrou e matou ambos. Os amantes habitam o segundo círculo do Inferno, condenados a girar eternamente no vento das paixões, porém têm a felicidade sofrerem juntos.

OS CORRUPTOS
Ficam quase no fim do Inferno, próximos do próprio Lúcifer – atraídos pelos poderosos. São pecadores impiedosos, oportunistas e broncos. Incapazes de entender sentimentos complexos. Roubam sempre no plural, vários ao mesmo tempo. Como são atoleimados raramente se arrependem. Dante mostra que mesmo cumprindo pena continuam a pecar, pensando que são ‘espertos’. Depois da implantação das Repúblicas a corrupção virou vício institucional, superlativo – pior que os pecados clássicos – muito mais perigosa. São cisnes imundos,  repugnantes como abutres.

TIRESIAX
Condenado pelo florentino ao oitavo círculo do Inferno, vagava eternamente com a cabeça virada para trás, olhando as costas, como castigo por prever o futuro. Foi o maior adivinho da antiguidade e, porque interrompeu o coito de duas serpentes, passou sete anos transformado em mulher. Zeus e Hera discutindo sobre quem gozava o melhor sexo 
homem ou mulher  chamaram TiresiaX para decidir. O vidente indicou a  fêmea, nove vezes mais. Hera irritada o cegou, Zeus apiedado deu-lhe o dom da profecia.

RAQUEL
A pastora contemplativa, citada quatro vezes na Divina Comédia, era amiga de Beatriz e conviviam felizes na eternidade celeste. Foi mãe de José do Egito e Benjamim, transavó de Saul, primeiro rei de Israel.  Por mais  de 2000 anos permaneceu no Limbo (um lugar sem sofrimento mais corroído pela desesperança). Jesus, depois da ressurreição, a levou para o Paraíso. Curiosamente parece que Lia, sua irmã gêmea e rival (de estranhos olhos, feito Capitu), foi direto para o Céu. Explique isso Dante?

BEATRIZ
O grande amor de Dante, tinha cinco anos a primeira e (única) vez que o poeta a viu. Nunca se falaram. No poema, quando o vate está perdido no Inferno, alertada por Santa Luzia, Beatriz intercede para salva-lo. Pede para Virgílio conduzi-lo até as portas do Paraíso, de onde ela própria o guiará até fim da jornada. Nunca sorriu para Dante, porque se o fizesse 
 por causa do esplendor   ele viraria cinzas. A última vez que Dante a vê está sorrindo contemplando Deus. Jorge Luis Borges diz que o ‘Sorriso de Beatriz’ é a mais tocante despedida da Literatura: infinitamente bela, dolorosa e definitiva.

Nenhum comentário:

Postar um comentário