quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

O Monstro que Veio de S. Paulo


O Horla (Le Horla) é um conto de terror escrito em 1886 pelo francês Guy de Maupassant, considerado um dos maiores contistas da Literatura Ocidental. É apontado como uma das principais fontes do Horror Cósmico e do Movimento Weird, gênero que mistura Terror, Fantasia e Ficção Científica. Influenciou H.P.Lovecraft, Stephen King, o Universo Alien e varias legiões de monstros.

O curioso – macabra honraria – é que no conto ‘Le Horla’ o monstro teve origem na Província de S. Paulo por volta de 1850.

E aqui está, meus senhores, para acabar, um pedaço de jornal que me chegou às mãos e que vem do Rio de Janeiro. Eu leio: “Uma espécie de epidemia de loucura parece grassar há algum tempo na província de S. Paulo. Os habitantes de várias aldeias fugiram, abandonando terras e casas e pretendendo-se perseguidos e comidos por vampiros invisíveis que se alimentam de sua respiração enquanto dormem e que, além disso, só beberiam água e às vezes leite!”

O Horla Guy de Maupassant (primeira versão – 26/12/1886)

O estrupício, depois de grassar e submeter os paulistas, chegou à França através de uma galera brasileira que, festiva, navegava pelo Rio Sena.

Ah! Ah! lembro-me, lembro-me da bela galera brasileira que passou debaixo das minhas janelas, subindo o Sena, no dia 8 do passado Maio! Achei-o tão bonito, tão branco, tão alegre! O ser vinha nele [sic passim], vindo de lá, onde a sua raça nascera! E viu-me! Viu a minha casa também branca; e saltou do navio para a margem. Oh! Meu Deus?

O Horla – Guy de Maupassant (segunda versão – 1887)

Bim! Considerando o epistolário jesuíta, não é a primeira vez que atribuem à Cidade de S. Paulo o origem de todos os males.

Intrigado com ‘Le Horla’, este nosso antepassado sampaulista, escrevi um conto imaginando as aventuras do monstro na garoa e neblina da cidade de S. Paulo, com  os estudantes de Direito, bem no meio do Movimento abolicionista.

Se tiverem interesse é só clicar?  O Horla - Origem





Nenhum comentário:

Postar um comentário