quinta-feira, 27 de outubro de 2016

HOTEL ESPLANADA – Sala de Visita da Paulícéia Desvairada

Até 1890 S. Paulo possuía apenas 64.934 habitantes. Por longo tempo a movimentação da vila era a vida acadêmica em torno da Faculdade de Direito, além disso servia apenas de paragem para imensas tropas de burros em direção ao Porto de Santos, que, não raro, desfilavam pela Rua Direita. Escassos 32 anos depois – na Semana de Arte Moderna – chegou a quase 600 mil. A urbe que Mário de Andrade chamou de Paulicéia Desvairada havia se multiplicado por dez.

Nesse intervalo a capital dos paulistas se consolidou como maior entroncamento ferroviário do país. As acanhadas capelas e igrejas coloniais foram derrubadas, no lugar delas ergueu-se um magnifico conjunto de templos católicos que, ainda hoje, enfeitam a paisagem da cidade. O Teatro Municipal eclodiu suntuoso do outro lado do sinistro brejo do Anhangabaú que, drenado, foi convertido num parque urbano sofisticado, cercado de palacetes e decorado com estátuas. Edifícios começavam a crescer por perto e bairros chiques brotavam em torno do Centro.