sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Origem d'O Horla – Frank Miller


Meio, o anão replicado, de repente, pulou na frente do carro.

“– Para aqui mesmo Doc, lá tá muito cheio.”

Era um flanelinha que trabalhava no Bixiga, em todos os lugares e em vários serviços. Nunca vi dois juntos, mas aposto que existem umas 50 réplicas dele. O restaurante era longe, uns 300 metros, na rua paralela, mesmo assim obedeci e paguei o que pedia. Estava quente e as ruas começavam a ficar congestionadas.

O almoço com os amigos acabou às 4 da tarde. Tinha tempo, fim de semana prolongado, 92 horas sem plantão, só ia pegar a estrada no fim da noite. Resolvi dar a volta no quarteirão, arriscar um Café novo. No meio do caminho havia um sebo; sempre há um sebo novo no Bixiga. Proliferam antiquários no bairro, surgem e somem misteriosamente, porém os donos não mudam, devem fazer rodízio, são sempre os mesmos.

Meio estava sentado na porta. “– Entra Doc, tem muito gibi por aí”.

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Painel de Azulejos do Largo da Memória

O ‘Obelisco do Piques’, ou ‘Pirâmide do Piques’ – nosso mais antigo monumento – é um nó cego no meio da cidade de S. Paulo. Construído ainda no reinado de D. João VI, antes da independência, permanece repleto de enigmas, lendas e histórias. Ninguém sabe direito porque foi erigido e o que homenageia. Já especulei sobre este mistério em 2014, quando o monumento fez duzentos anos (clique e veja). 
Todo mundo conhece o lugar, passam por lá alheios, apressados e sem prestar muita atenção num item curioso e esquecido que compõe este complexo e precisa ser ressaltado:
 ||  o painel de azulejos, que envelhece e se empana na sombra da figueira centenária.  ||

Vamos examiná-lo de perto através de fotografias e ampliações de detalhes. As imagens do painel evocam a própria Ladeira do Piques nos seus dias de glória. Aliás, revisitar era uma boa mania do seu autor Wasth Rodrigues. Por causa dele guardamos muitas imagens raras da S. Paula que o progresso transformou.
O 'Largo do Piques' sempre foi um dos portais de S. Paulo, por ele os Bandeirantes saíram para inventar e inventariar o Brasil.