quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

XADREZ A TRÊS


Este trio de poemas brinca com o conceito de truelo, que, na Teoria dos Jogos (viram o filme ‘Uma Mente Brilhante’?), é o nome dado às confrontações com mais de um adversário ao mesmo tempo.

As decisões dentro de  um truelo são ultra complexas, porque qualquer ataque contra ‘b’, deixa o atacante ('a') vulnerável a ‘c’, 'd' e demais envolvidos. Por isso são imprescindíveis as alianças e os acordos; também, nenhum arranjo é estável e permanente. Toda Paz é provisória. 

A analogia vale também para ‘pensamentos’, ‘sentimentos’ e ‘instintos’ que se enfrentam num truelo perpétuo. Um 'xadrez a três' dentro de nós.

CÓLERA ENCARNADA

SABOR DE PENSAMENTO

TAUROMAQUIA

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

PREDINHO TESTEMUNHA


A foto panorâmica foi tirada da torre da Igreja da Consolação, no início dos anos 50, quando o triângulo formado pelas Avenidas Ipiranga, Consolação e São Luís era o objeto de desejo de todas as construtoras.

Já estavam prontos os grandes edifícios do lado ímpar da Av. São Luís, a Biblioteca Mário de Andrade e o Novo Hotel Jaraguá (antigo Estadão). Contudo, o cobiçado graal do miolo do triângulo permanecia praticamente vazio. Permanecia ativa a saudosa e deliciosa Vila Normandia, obra do arquiteto Júlio de Abreu Junior nos terrenos do Conde Sílvio Álvares Penteado.

Os planos e projetos para ocupação do paraíso imobiliário estavam no fogo ardente das negociações. Os edifícios Itália, Copan e o alto paredão de prédios residenciais do lado par da São Luís (o Louvre por exemplo) logo brotariam para verticalizar e transfigurar o triângulo.

Curioso, entretanto, é que uma pequena e interessante construção, com exíguos térreo e seis andares, já se emperiquitava premonitória no vasto terreno desocupado. Humildemente não se declarava nem prédio nem edifício, apenas ‘CRUZEIRO’, no número 355 da Rua Araújo.

O predinho ainda existe e resiste até os dias de hoje, engolido e despercebido entre as imensas construções que o cercaram. Se não fosse a antiga fotografia panorâmica nunca teria prestado atenção nesta testemunha do passado que viu tudo acontecer.
.

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

BENEDITO CALIXTO – CAPELA DO SANTÍSSIMO / CONSOLAÇÃO


Dentro da Igreja Nossa Senhora da Consolação – na Praça Roosevelt – do lado direito do altar, fica a Capela do Santíssimo Sacramento. A porta, sempre aberta, está debaixo do quadro 'Santa Ceia' de Oscar Pereira da Silva.

Pequena, tamanho de uma sala média, com vitrais voltados para um bosque. No fim da tarde a capela quando recebe o sol de revés, apesar de miúda, vira uma ‘catedral de silêncios eleitos’. Os vidros rutilam e as cores dos quadros acordam e se acendem esfuziantes; as horas se enroscam encantadas e passam devagar pelo relógio.

É uma capela de espantos porque está luxuosamente adornada por todos os seis magníficos painéis de Benedito Calixto que a igreja possui. O cara é um dos quatro grandes pintores paulistas pré-modernistas. De todos, o que melhor explorou as motivações sacras.

As seis telas são de 1918, do apogeu artístico de Benedito Calixto, quando ainda não era o padroeiro da feirinha de sábado na praça com seu nome. Tanto que, em 1919, Monteiro Lobato  fã do Benedito, que não gostava das mistificações de Anita Malfatti, afirmou que era o mestre paulista que mais vendia.

Devia ser verdade, porque várias cidades do interior paulista, importantes no ciclo do café, como Santos, Brotas, Bocaina, São Carlos e diversas outras, se orgulham de ter obras e afrescos pintados por ele nos suas igrejas e fazendas. Algumas delas criaram museus dedicados ao artista.  

Benedito Calixto, como todo pintor que alcançou sucesso, quase sem alterações, repintava fartamente versões de seus quadros. Em consequência um par de quadros da Consolação, ‘A Caminho de Emaús’ e ‘A Ceia de Emaús’, têm diversas versões espalhadas pelo estado, Os outros quatro retratam santos mais exclusivos: São Tarcísio, São Tomás, Santa Clara e Santo Antonio de Pádua.

Muitos sites falam de um São Boaventura, contudo, parece que estão equivocados, o santo não está na capela, nem consta nas documentações acadêmicas das obras do autor.

A Igreja da Consolação  e especialmente a Capela do Santíssimo  é um excelente lugar para PAULISTAR, fácil de visitar e propício para meditar. Ótimo para quem quiser recosturar a alma no corpo, têm belas obras de arte e fica perto da Estação República do Metro.

Depois, na volta, dá para passar no Café Floresta no Copan, um dos três melhores de S. Paulo.

AS SEIS PINTURAS