terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

Edifício dos Terraços de Película


Quase todos os prédios de Higienópolis têm histórias interessantes, são obras de arquitetos famosos que projetaram outros edifícios icônicos de S. Paulo. Por isso sempre acabamos descobrindo curiosidades novas envolvendo estes ‘palácios’.

O Edifício Domus, na confluência em ‘U’ das ruas Sabará, Marquês de Itu e General Jardim tem muitas peculiaridades. Os apartamentos são imensos, um por andar, quase 500 m2. Seus arquitetos – Ermanno Siffredi e Maria Bordelli, formados em Milão – vieram tentar a vida em S. Paulo e fizeram sucesso. Além do Domus e do redondo Hotel Hilton, construíram as Galerias do Rock, Le Village (em frente do Espaço Itaú de Cinema), Nova Barão e Centro Comercial Bom Retiro – observem todas têm a ‘mesma cara’.

Contudo, a maior curiosidade que intriga (ou passa despercebida?) os caminhantes do bairro é o inusitado desenho do terraço que envolve os vastos apartamentos do prédio. Somente entendi o mistério da estranha referência quando meu filho, que trabalha com cinema, me revelou o segredo da esquisitice: ‘são rolos de película de antigos filmes de celuloide’.

Na virada dos anos 50/60 o Cinema Italiano, por causa do Neo-Realismo, estava voando alto, o casal de arquitetos era milanês e fã da sétima arte, por isso resolveram desenhar os terraços homenageando o talento de seus conterrâneos.

O problema é que agora, cada vez que passo por lá, me dá saudades da Sophia, Gina, Claudia, Sylva Koscina... 

Nenhum comentário:

Postar um comentário